Praga – Conhecer a cidade

Visto que nos tínhamos deitado tarde, hoje foi obviamente difícil acordar muito cedo. Saímos de casa já depois do meio-dia e meia e a primeira tarefa em mãos era encontrar um sítio para tomar o pequeno-almoço. Fez-se uma rápida pesquisa na Internet e encontrámos este cafezinho perto de nós – Den Noc, fechava só às três da tarde e servia panquecas feitas na hora até à hora de fechar. As panquecas eram saborosas e havia bastante escolha entre doces e salgadas.

Mais compostos partimos para o centro histórico da cidade. Como tinha dito no post interior esta viagem era mais para diversão do que para visitar museus e monumentos, por isso mesmo não tínhamos planeado nada intenso para ver durante o dia. A parte histórica da cidade, também referida como a parte velha é uma das zonas de Praga onde se concentram os pontos turísticos principais. A praça da Cidade Velha, onde nos dirigimos primeiramente recebeu-nos com um agradável impacto visual do que aquela cidade nos tinha para oferecer. Rodeada de edifícios de arquitectura muito bonita destacam-se A Prefeitura da Cidade Velha onde se encontra o famoso Relógio Astronómico de Praga, A Igreja de Nossa Senhora de Týn e A Igreja de São Nicolau. Toda esta zona é pedonal o que permite vaguear por aqui descontraidamente. A partir desta praça tem-se acesso a muitas ruas estreitas perfeitas para passear e encontrar tesourinhos escondidos.

E foi numa dessas ruas que nós nos dirigimos, onde se encontra um museu chamado o Museu das Máquinas Sexuais. Isto em cada cidade que vou com os meus amigos, tem que haver sempre assim um museu mais…digamos peculiar. O museu exibe diferentes colecções num total de mais de 300 items, que incluem peças de estimulação e de equipamentos anti-masturbação e a evolução de ambos os conjuntos pelas diferentes épocas da história. No final acabámos numa sala que passa um filme pornográfico antigo. Passado já algo tempo de estarmos ali sentados apercebemos-nos que era o mesmo que o que tínhamos visto em Barcelona no museu de L’Erotica. Quando começou a parte que já tínhamos visto decidimos que já chegava do filme. Saímos e fomos para ao pé da praça onde tínhamos estado anteriormente mas desta vez para olharmos para um dos monumentos mais importantes de Praga e que já tinha mencionado acima – O Relógio Astronómico de Praga – o relógio medieval mais famoso do mundo. Foi construído em 1410 pelo relojoeiro mestre Hanus e depois aperfeiçoado no séculos XVI. Ele é constituído por 3 diferentes partes:

  • O calendário de Josef Mánes, onde se estão representados os meses do ano e os signos do zodíaco. É também no calendário onde se encontram 4 esculturas representado um filósofo, um anjo, um astrónomo e um orador.
  • O Relógio Astronómico propriamente dito, cuja função não era dar as horas mas representar as órbitas do sol e da lua
  • As Figuras Animadas – Esta é talvez a razão para este relógio ser tão famoso, cada vez que o relógio marca as horas dá-se um desfile. As personagens envolvidas são os 12 apóstolos, o Turco, a Avareza, a Vaidade e aquela que gostei mais a Morte – que inicia o desfile ao puxar uma corda.

Assistimos a este espectáculo peculiar e único e seguimos para o lado do rio Vltava. Até chegarmos aqui seguimos uma rua pitoresca de Praga, a rua Karlova, onde se encontram imensos restaurantes, cafés, lojinhas a vender tudo e mais alguma coisa desde rendas a roupa a gelados, aos famosos bolos-chaminé que vos falarei mais à frente. Passámos por aqui imensas vezes durante a nossa viagem. E o que mais impressionava era a quantidade de gente que como nós, visitava Praga. Pode-se dizer que a cidade estava apinhada. Finalmente, chegámos ao considerado segundo ponto mais importante da cidade, a Ponte Carlos. Quando pesquisámos sobre o que visitar nesta cidade, lemos várias vezes que não se pode dizer que se conheceu Praga até se visitar esta ponte. Uma das pontes mais antigas da cidade e do país, esta atravessa o rio Vltava e conecta a  Staré Město (Cidade Velha) à Malá Strana (Cidade Pequena). 

O nome da ponte remete-nos a rei Carlos IV que colocou a primeira pedra em 1357 e que foi quem quis que esta ponte fosse construída. Ao longo da ponte encontra-se 30 estátuas dos dois lados tendo sido a maior parte destas ali construídas entre 1683 e 1714. No entanto, actualmente as estátuas aqui presentes são réplicas das originais as quais se encontram no Museu Nacional de Praga e no Vyšehrad. As estátuas representam vários santos e patronos venerados na altura da sua construção.

A vista da cidade desta ponte é soberba e adorámos tudo o que nos rodeava, a banda que tocava músicas que todos conhecíamos, as banquinhas a vender recordações, o sol que tornava aquele dia tão bonito. A sensação de alegria neste momento era grande, ali estava eu naquele magnífico sítio rodeado dos meus melhores amigos a 2 semanas de me casar. Pouco pode bater este sentimento. 

Para verem por onde passeámos depois de passar a ponte, cliquem em:

Praga – Malá Strana, Comida Tradicional e Ice Bar

Praga – Castelo de Praga, Jardim Wallenstein e Muro de Lennon

Praga – Restaurante Mincovna, Estátua de Franz Kafka e Praga à noite

Praga – Spa de Cerveja, Casa Dançante e o Adeus

Anterior:

República Checa – Praga

5 thoughts on “Praga – Conhecer a cidade

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s