Vila de Rei e Passadiços de Penedo Furado

Esta viagem até Vila de Rei e aos Passadiços do Penedo Furado é ideal para aqueles passeios de um dia ou para aquelas escapadinhas rápidas (mas bem merecidas) de um fim-de-semana. Nós fizemos esta viagem juntamente com os nossos pais e posso-vos dizer que foi um dia bem aproveitado. Bom tempo, boa comida e a beleza natural de Portugal, nada falta para um dia perfeito.

Começámos por Vila de Rei, já que também era por aqui que tínhamos feito a reserva para o almoço. Vila de Rei pertence ao distrito de Castelo Branco, fica a cerca de meia hora de Abrantes e a duas horas de Lisboa. O centro histórico de Vila de Rei e o Centro Geodésico são dois pontos que não podem de deixar de visitar. Eu já tinha ouvido falar muitas vezes de Vila de Rei devido a um dos pratos típicos da zona – a famosa sopa de peixe. E na verdade esta foi a grande razão para este passeio. Marcámos o almoço para o meio dia e meia – na minha família almoça-se cedo – no restaurante A Cobra. Apenas um do grupo já conhecia Vila de Rei, mas nunca este restaurante. Por isso, a Cobra foi uma experiência gastronómica nova para todos. E que experiência!

Adorámos logo o aspeto exterior rústico do restaurante e mais ainda o espaçoso salão no seu interior. A comida então – muito, mas muito boa. Pediu-se para entrada a tal Sopa de Peixe como não podia deixar de ser – e apesar de ser a sopa considerada “Entrada” aviso-vos que enche bastante – aviso gratuito para depois não serem como nós e só comer metade do prato principal e já a empurrar bem para não parecer mal e ficarmos de consciência pesada. A sopa muito bem temperada, com um sabor delicioso, revelou-nos que a razão da viagem era bem merecida.

Para pratos principais houve quem pedisse alheiras, maranhos (também prato típico desta zona de Portugal), mas o prato mais famoso não só na nossa mesa, mas por todo o restaurante foi o cozido a portuguesa. Doses enormes chegaram-nos à mesa, e as do cozido chegam à vontade para duas pessoas! As sobremesas também não ficaram nada atrás como esta Pannacotta com molho de frutos vermelhos. Preços acessíveis e o serviço impecável.

Para moer toda a quantidade de comida que se ingeriu fomos para os Passadiços do Penedo Furado.

Parámos primeiro no Miradouro do Penedo Furado, mas também existe o Miradouro Fragas do Rabadão mesmo ali ao lado. A paisagem incrível sobre o rio e os vales que o acompanha estendia-se à nossa frente.

Mais abaixo, num parque de estacionamento gratuito começámos o nosso passeio pedonal pelos passadiços. Primeiro encontrámos a praia fluvial onde vários grupos de pessoas assavam carne, falavam alto ou sentavam-se de frente para a paisagem. Os passadiços formam um trilho circular de cerca de 2 km. Durante o passeio terão oportunidade de ver várias cascatas. Se o tempo assim o deixar ainda poderão aproveitar para nadar debaixo da cascata do Penedo Furado. Os Passadiços foram construídos em 2 fases, sendo que a segunda fase foi terminada em 2021, permitindo assim caminhar entre a praia fluvial e o miradouro das Fragas do Rabadão. Os Passadiços do Penedo Furado também fazem parte dos trilhos pedestres “Trilho das Bufareiras” (entre Vila de Rei e a praia fluvial do Penedo Furado – 9Km), “Grande Rota da Prata e do Ouro” (entre o concelho do Sardoal a Vila de Rei – 31Km) e a “Grande Rota do Zêzere” (da Serra da Estrela até Constância – 370Km).

Deixo aqui um aviso e garanto-vos que estou a falar por experiência – tenham algum cuidado nas pedras molhadas se não acabam como eu a dar uma cambalhota pelo ar ao tentar atravessar a fila de pedras que ligam os dois lados da lagoa onde a cascata do Penedo Furado se encontra. Felizmente não houve lesados apenas uma história para contar.
Na volta já para o carro ainda aproveitámos para bebidas frescas num café na praia fluvial – que fechou por volta das 4 e meia da tarde.


Este é um passeio para aproveitar e conhecer o interior de Portugal, um país de mil faces com sítios maravilhosos em cada recanto.