Inglaterra – Lake District

A vida em 2020 é diferente para todos. Tivemos que nos isolar, alguns de nós fazer quarentena e mesmo lutar pelo último rolo de papel higiénico. No entanto, o que mais me afetou tal como para a maioria foi a impossibilidade de viajar e ainda hoje pudemos viajar sim, mas com limitações e regras muito diferentes às que estávamos habituados. Foi por isso, que eu vivendo em Inglaterra e no meio de tanta incerteza decidi que a semana de férias no final de Agosto seria para aproveitar a explorar uma das mais bonitas partes de Inglaterra – atenção estou a dizer Inglaterra, não Reino Unido – o Lake District ou em português o Distrito do Lago. Se calhar muitos de vós nunca ouviram falar desta zona de Inglaterra, eu possivelmente só a conheço e tive oportunidade de a visitar porque vivo em Inglaterra.

Para evitar apanharmos aviões e diminuir a possibilidade de cancelamentos e chatices, pusemo-nos atrás do volante do carro e conduzimos durante 5 horas numa sexta-feira à tarde para Norte. E foi assim, com duas paragens a meio do caminho, uma que incluiu jantar no Burguer King, chegámos ao Lake District, mais especificamente a Coniston, onde ficámos instalados durante 3 noites.

Antes de começar a descrever a nossa viagem vou adicionar algumas considerações necessárias para quem quiser fazer viagem semelhante:

1 – Lembrem-se – isto é Inglaterra. E o tempo no Lake District é o esperado em Londres, ou talvez até pior já que estamos bastante mais a norte do país. Em 7 dias apanhámos muita chuva, daquela torrencial, apanhámos dias de sol e calor e apanhámos dias de “meh” – não era mau mas podia ter sido melhor. E nós fomos no mês de Agosto! Por isso levem roupa como se fossem para lá viver durante um ano, que vão com certeza apanhar todas as estações.

2 – Levem muito calçado. Se acham que levam calçado suficiente, digo-vos que levem mais um par de ténis ou botas só à cautela. Eu levei botas impermeáveis e uns ténis, que achei serem suficientes para uma semana, e posso-vos dizer que houve um dia em que tive que andar com as botas molhadas porque não secaram de um dia para o outro. É que mesmo no dia que não choveu consegui enfiar um dos ténis dentro de lama.

3 – Marquem restaurantes com antecedência. Isto foi algo com o qual não estávamos a contar. Não sei se é por causa do COVID-19 e das alterações que os restaurantes tiveram que aplicar, a verdade é que quase todos os dias tive que ligar para vários restaurantes até conseguirmos marcação para jantar nesse dia. Eu no final já andava a ver se conseguia marcar mesa para o dia seguinte e nem assim estava fácil. Por isso fica um aviso.

4 – O Lake District é uma magnífica zona para atividades desportivas relacionadas com água. Eu queria mesmo muito ter feito Kayak, mas no final não houve oportunidade. No entanto, aqui fica a sugestão, visto que o que existe mais por estas bandas são lagos.

5– Outra coisa também terão que fazer, se quiserem desfrutar verdadeiramente a experiência desta zona de Inglaterra, é escalada. Não digo escalada pesada, mas subir algumas montanhazinhas. Eu nunca na vida tinha subido tanta montanha, até de gatas andei. O que é difícil é escolher que monte subir, pelo menos para nós que não somos nem alpistas nem sequer atléticos, e que tivemos que decidir no que valia ou não a pena nos aventurar. Infelizmente, apesar de termos subido ao ponto mais alto de Inglaterra, Scafell Pike, o dia estava péssimo, e quando digo péssimo era chuva a cair a potes e frio e quando chegámos ao pico vimos nickles devido ao nevoeiro. Sim, posso dizer que estive no ponto mais alto de Inglaterra. Agora será que valeu a pena? Ainda estou a ponderar.

6 – Apesar do tempo e das escaladas (que obviamente não são obrigatórias) – vão. Vão e desfrutem. É uma zona lindíssima, muito pitoresca e se forem com calma e parando pelo caminho conseguem ver paisagens fantásticas. Sempre que virem uma paisagem que vos surpreende, parem o carro e simplesmente aproveitem. A vida pode ser diferente, mas a natureza está sempre presente para nos lembrar que a vida vale a pena de ser vivida.


Agora depois dos avisos e moralismos que eu sei que vocês não precisavam, vou então passar ao roteiro:

Dia 1: Coniston

Dia 2: Rydal, Ambleside & Windermere

Dia 3 – Scafell Pike

Dia 4 – De Coniston to Keswick

Dia 5 – Keswick

Dia 6 – Ullswater