Juneau – a capital do Alasca e o nosso primeiro glaciar

Juneau foi a nossa segunda paragem no Alasca. Apesar de ser uma cidade maior que Ketchikan, a cidade em si não é grande. Por isso deu tempo para a visitarmos numa volta rápida e parar para experimentar umas bebidas da marca Alaskan. Isto depois de concluída a nossa escolha de percurso em Juneau. Apesar de haver vários pontos de interesse na cidade de que falarei já em seguida, nós escolhemos aventurar-nos pela natureza e fazer um trilho guiado na floresta nacional Tongass onde poderíamos ver o primeiro glaciar desta viagem, o glaciar Mendenhall.

Juneau encontra-se num enclave no sudeste do Alasca. A cidade fica a 900 milhas a norte de Seattle e 600 milhas a sudeste de Anchorage. Cobre uma área total de 3081 milhas quadradas e é a única capital dos Estados Unidos sem acesso rodiviário. Sim – só se pode ir a Juneau pelo mar ou pelo ar!


O nascimento de Juneau

Tlingit foi o primeiro povo a ocupar esta área há milhares de anos depois de descobrir que havia salmão em quantidade abundante no Canal Gastineau. Foi no final do século XIX durante a febre à corrida do ouro que o desenvolvimento em Juneau cresceu exponencialmente. George Pilz, engenheiro e empreendedor, ofereceu recompensas a qualquer nativo que conseguisse encontrar ouro. O chefe Auk Tlingit Kowee encontrou uma pepita de tamanho considerável na zona do canal Gastineau, o que serviu como incentivo para que Pilz e os seus parceiros, Richard Harris e Joseph Juneau explorassem a área. Em 1880, Juneau tornou-se num campo de exploração mineira de ouro. Apesar de Richard Harris ter inicialmente dado o nome de Harrisburg à cidade, os locais mudaram-no para Juneau como prova da lealdade ao co-fundador da cidade, Joe Juneau.


Locais a não perder na cidade

  • Cozinha local

É em Juneau onde se encontra o Heritage Coffee, uma companhia internacional premiada na produção de café. Assim também existe Alaskan Brewing Company, que é uma das cervejarias mais famosos na América.

A nossa guia que nos levou pelo trilho na floresta nacional Tongass, nascida e criada em Juneau recomendou-nos o Historic Merchant’s Wharf onde há vários locais para comer e beber. Nós ficámo-nos pelas bebidas, onde tive oportunidade de experiementar pela primeira vez as bebidas do Alaskan. Há vários restaurantes no edifício mas apenas experimentámos o Hangar on the Wharf, um bar de estilo Americano com vista para o porto. Também nos foi aconselhado o fish and chips que se encontra no Merchant’s Wharf.

  • Red Dog Saloon

Red Dog Saloon é um dos locais a não perder em Juneau. Disfrute da cerveja artesanal enquanto toma atenção aos vários artefactos históricos que decoram o espaço. Talvez o mais impertinente é a arma de Wyatt Earp, um fora de lei, que diz a lenda tê-la perdida durante um jogo de poker.

Apesar de não termos tido oportunidade de visitar os locais da lista abaixo, estes eram os locais recomendados para visitar em Juneau:


Curiosidades em Juneau

  • O cão mais famoso de Juneau

“The Official Greet of Juneau, Alaska” (a saudação oficial de Juneau) é uma escultura de um bull terrier inglês de nome Patsy Ann. Patsy Ann chegou a Juneau em 1929 e rapidamente se tornou uma presença constante na cidade. Apesar de Patsy Ann ter nascido surda tinha a capacidade extraordinária de saber quando os navios a vapor se aproximavam da cidade e corria até ao porto para receber os recém-chegados. Hoje em dia há uma estátua em memória a Patsy Ann perto da biblioteca e os viajantes que chegam a Juneau são encorajados em dar uma festinhas na estátua para garantir que recebem a sua benção.

  • Pelicanos no Alaska?

À frente do edíficio da autoridade tributária de Juneau encontra-se uma fonte dramática feita de bronze de pelicanos. Agora porquê pelicanos, uma vez que estas aves não são certamente nativas do Alasca? Apenas porque a estátua que deveria ter sido entregue em Juneau, uma estátua majestosa de uma águia foi entregue ao estado da Florida por engano. E assim, Juneau ganhou uma estátua de pelicanos.

  • Peixe voador?

Dia 30 de março de 1987, o avião 737-200 da Alaska Airlines descolou de Juneau como normalmente. O que não foi normal foi o encontro que teve com uma águia que deixou cair o grande peixe que tinha nas garras acabando por este ir de encontro com o vidro da frente do avião.


Mas o melhor em Juneau…

Para os amantes de natureza, Juneau é uma paragem obrigatória. Para quem gosta de animais marinhos a zona de Juneau é conhecida por atrair baleias durante o verão. A sua presença é de tal forma frequente que existem tours a garantir o seu avistamento.

Para os amantes de pássaros, nas zonas envolventes existem mais de 300 espécies diferentes incluindo 10,000 águias. E assim se percebe que a história do peixe caído em cima do avião não é assim tão improvável, apesar de continuar a ser fascinante!

Agora a nossa experiência dentro da floresta nacional Tongass e o glaciar Mendenhall

Tongass nacional forest é a maior floresta dos Estados Unidos. A nossa excursão incluía percorrer um trilho pela floresta com vista para o glaciar Mendenhall. O trilho seria escolhido no dia pelo guia conforme as condições climatéricas, o número de pessoas do grupo e a sua condição física. Claro que se tiverem tempo, ou passarem mais de que um ou dois dias em Juneau podem percorrer os diferentes trilhos por conta própria. No entanto, uma das desvantagens de se viajar num cruzeiro é o tempo limitado em cada paragem. A duração da exercusão foi de 3 horas, 1 hora de viagem de autocarro (ir e vir) e 2 de trilho. Durante o trilho a guia foi apontando e explicando “provas” do nascimento da floresta depois do recuamento do glaciar tal como a vegetação que está a nascer e como a floresta ainda sendo recente se está a formar. A floresta Tongass é uma floresta tropical temperada e por isso o tipo de vegetação é bastante diferente do tipo que se vê por exemplo na Europa.

Nomeadamente, esta floresta é a casa de ursos castanhos. Só vimos ursos quando estávamos no navio, nas margens das praias no National Glacier Park mas sempre que íamos numa excursão no Alasca, o tema ursos vinha à baila. Sempre nos disseram se víssemos um para não fugirmos, não fazermos contacto visual directo e mantermos a calma – como se o modo automático de sobrevivência fosse mesmo isso!

No trilho que fizemos em Tongass haveria a possibilidade de avistar ursos, não o aconteceu, mas vimos algo maravilhoso – o glaciar Mendenhall. O glaciar Mendenhall fica apenas a 22 Km do centro de Juneau, localizado no vale Mendenhall. O glaciar mede 12 milhas em comprimento, meia milha em largura e 91 a 548 metros em profundidade. O glaciar tem vindo a recuar desde os meados de 1700. O glaciar foi formado durante a época chamada “Little Ice Age” há cerca de 3000 anos e é alimentada por um campo de gelo no Alto de Juneau. O glaciar tem conseguido sobreviver muito mais tempo do que outros glaciares na América do Norte devido à geografia e clima únicos específicos da região.

É possível visitar o glaciar Mendenhall tanto de canoa como, se forem mais aventurareiros, de helicóptero e ter a oportunidade de pisar o glaciar. Outro ponto bastante famoso da área é a cascata Nugget que desce de uma altura de 115 metros.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s