Budapeste – 2º Dia

Este era o dia em que tínhamos planeado ver mais coisas. O programa para hoje era:

1 Basílica Santo Estevão
2 Parlamento Budapeste
3 Shoes on Danube Bank
4 Igreja Matias
5 Bastião do Pescador
6 Castelo Buda
7 Galeria Nacional da Hungria
8 Museu da História Húngara

Começámos por isso o dia bem cedinho, às 8 da manha já estávamos a sair do hotel. Primeiro como estava planeado, fomos ver a Basílica de Santo Estevão. Este é um dos edifícios mais bonitos de Budapeste, tanto por dentro como por fora. Mas para nós, se por fora é bonito, por dentro é espectacular. As pinturas, os vitrais, tudo é lindíssimo. Tenho a dizer que o meu namorado ficou mesmo impressionado e isso é dizer muito. As fotos não conseguem expressar a beleza fantástica deste monumento.

Depois fomos para um dos mais icónicos monumentos desta cidade, o Parlamento de Budapeste. Com as suas cúpulas avermelhadas, a sua grandeza, tudo faz lembrar Budapeste. Aqui a visita guiada é obrigatória e tem que ser marcada. Como ainda nos faltava mais de meia hora para a hora da nossa visita decidimos ir ver o memorial “Shoes on Danube Bank” que traduzindo em português é: Sapatos à margem do Danúbio._DSC0342 Este é um memorial aos judeus mortos à margem do rio. São esculturas de sapatos que representam os judeus que eram obrigados a despir-se e a descalçar-se antes de serem mortos. Os seus corpos caíam no rio e eram levados pela corrente. É um memorial bastante impressionante que nos leva a pensar sobre a humanidade. Não é para ser como a maior parte das pessoas faz, tirar selfies com esta estátuas. O meu pensamento é “Está tudo doido?” É assim tão importante mostrarem aos outros que ali estiveram que fazem figuras de parvos a tirar uma foto a sorrir perto de algo que representa um episódio horrível da história? Eu acho que algumas pessoas deviam mesmo pensar nas suas prioridades e nas suas acções. É realmente muito triste e ignorante quem tira este tipo de fotos.Depois de nos revoltarmos com a estupidez das pessoas, voltámos ao Parlamento para a nossa visita guiada. Ficámos a saber que este é o maior edifício de Budapeste e o segundo maior parlamento da Europa. O seu interior é altamente luxuoso, onde se pode encontrar a coroa do primeiro rei Húngaro. Estima-se que na sua construção estiveram envolvidos  meio milhão de pedras preciosas e 40 kg de ouro.

Depois da nossa visita guiada, já era cerca da 1 da tarde. Era altura de passarmos para o outro lado do rio, para visitar o que nos faltava,agora na zona Buda. Em primeiro agendado estava a igreja Mathias e o Halászbástya (bastião dos Pescadores). Estou aqui a colocar os dois juntos, porque eles ficam ao lado um do outro. Estes monumentos ficam na colina do castelo do Buda. O bastião dos Pescadores começou a ser construído no ano em que a Hungria fez 1000 anos, em homenagem às sete tribos que a fundaram. Cada torre representa uma tribo. Daqui tem-se uma bela vista para a cidade e normalmente a entrada é gratuita. A igreja Mathias, assim chamada devido ao rei Mathias que se casou nesta igreja duas vezes, é uma homenagem a nossa Senhora e era a igreja principal na zona Buda, na época medieval.

_DSC0383

Depois de nos perdemos um bocado por aqui a apreciar a vista, fomos para a zona do castelo propriamente dita. Também é onde se encontra a Galeria Nacional e o museu da História. Foi mesmo por aqui que começámos, pela Galeria Nacional. Na galeria, pudemos ver obras de arte húngara desde a Idade Média até ao século XX.

Como por esta altura já estávamos a ficar cansados decidimos não ir ao museu da História. Demos uma voltinha pelo castelo e decidimos voltar para o lado de Peste. Como também já estávamos a ficar cheios de fome, isto já eram 4 da tarde, decidimos ir comer outra vez ao Market. Mas foi uma decepção. Depois de quase 40 minutos a andar, encontrámos o Market fechado. Pelos vistos ao sábado encerra às 3 da tarde e no domingo está fechado o dia todo. Para enganar a fome fomos a uma pastelaria, a Auguszt Cukraszda. É uma das pastelarias mais bem avaliadas de Budapeste. Infelizmente, não tenho fotos porque estávamos sem bateria nos telemóveis e com um humor horrível. Mas podem sempre fazer uma rápida pesquisa na Internet e logo vêem se vale a pena (vale). Vejam em: http://www.augusztcukraszda.hu/

Apesar de termos enganado a fome com uma fatia de bolo e com um chocolate quente com chantilly (eu sei, só gula), quisemos ver se encontrávamos algo mais substancial. Andámos pelos lados do nosso hotel e encontrámos algo que queríamos experimentar (outra delícia húngara): Lángos. Este fast-food húngaro é feito de massa de pão frita em forma de pizza, a qual pode ser comida simples ou juntar outros ingredientes, como queijo, fiambre e sour cream no nosso caso. E, sim depois disto já estávamos bem mais contentes.

20180113_165443

Eram 5 e meia da tarde e daí a uma hora tínhamos um cruzeiro no Danúbio. Em quase todos os sítios onde se pesquise um pouco sobre o que fazer em Budapeste, o cruzeiro no Danúbio encontra-se mencionado, principalmente o cruzeiro à noite. E claro está, não íamos perder a oportunidade. Existem várias empresas que fazem estes cruzeiros e nós escolhemos Legenda Sightseeing Boats, não só porque era o que tinha as melhores reviews mas também porque era a única companhia que ainda tinha lugares para aquele dia (tínhamos os comprado no dia anterior). Também podem escolher o cruzeiro que inclui jantar, mas nós foi mesmo só o passeio com 1 bebida incluída. E sim, vale a pena. Vê-se Budapeste numa outra dimensão, é uma experiência única. O meu namorado fez um vídeo de toda a nossa viagem e cada vez que o vejo, a beleza de Budapeste me surpreende. O cruzeiro demorou cerca de 1 hora e em seguida fomos jantar. Nós numa das vezes que tínhamos ido em direcção ao hotel, tínhamos reparado num restaurante que tinha preços bastante acessíveis. Como nós queríamos experimentar comida tipicamente húngara, acabámos a jantar neste restaurante, o Puli. Eu pedi frango paprikash com dumplings e o meu namorado pediu Toltott Kaposzta que é couve recheada com carne. O que tenho eu a dizer em relação à comida? O meu não tinha sal e o do meu namorado tinha sal a mais. Não foi assim uma experiência que diga que gostaria de repetir. Talvez pedir a mesma comida sim, mas noutro restaurante. O que até nos admirou porque o restaurante estava cheio.

Para acabarmos a noite, depois deste falhado jantar, fomos outra vez para o Szimpla Kert. Aquilo já estava cheio apesar serem apenas 8 e meia, mas depois de andarmos às voltas, conseguimos uma mesinha no sítio das shishas. Experimentámos uma com sabor a pina colada. Ainda bebemos uma cervejita e deixámo-nos ficar até às 11 e meia. Apesar de ter sido um dia muito comprido, aquele final deu para relaxar e ainda nos rirmos das nossas figuras a fumar a shisha.

Se lá forem, aconselho-vos a ir cedo como nós. Quando saímos às 11 e meia havia uma fila enorme para entrar.

Para seguirem o resto da viagem

Budapeste – 3º Dia

Budapeste – 4º Dia

Post anteriores desta viagem

Budapeste – 1º Dia

Hungria – Budapeste

One thought on “Budapeste – 2º Dia

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s