Barcelona – 3 Dia (1ª Parte)

Vamos lá passar ao 3º dia em Barcelona. Depois do dia de ontem, estávamos mesmo com esperanças que o de hoje fosse, digamos menos problemático. Acordámos bem cedinho para termos tempo de vermos tudo o que queríamos. E hoje finalmente íamos puder visitar a Sagrada Família. Mas já lá vamos. Como disse, acordámos bem cedo, arranjámos-nos mas já havia ali um pequeno probleminha. A minha amiga não conseguia andar muito bem, doía-lhe imenso o pé, ela que já se tinha começado a queixar no dia anterior à noitinha mas hoje sentia-se pior. Por ela dizer que aguentava, no início do dia não se lhe demos muita atenção. Assim hoje estava combinado visitarmos:

  • Museu d’Història de Catalunya 
  • Museu de la Xocolata (Museu do chocolate)
  • Montjuïc
  • Sagrada Familia

Pode parecer pouquinho mas o Montjuïc ficava afastado do resto das outras coisas e pensávamos que íamos por lá passear bastante tempo. Bem cedinho chegámos à zona da Barceloneta para a nossa primeira paragem. Vejam só que chegámos ainda antes da hora da abertura do museu, tal era a nossa vontade de aproveitar ao máximo o dia.

CIMG9613

Como o nome indica, o Museu d’Història de Catalunya conta-nos a história desta zona, através de recriações das diferentes épocas, desde do paleolítico até aos tempos actuais. Uma das muitas coisas que eu gosto quando visito um novo país é ter a oportunidade de descobrir um bocadinho da história desse mesmo país. Às vezes ler nos livros os factos históricos não se tornam tão apelativos como quando se está nesse mesmo país. Quando tens contacto com uma nova cultura acabas por te interessar saber um bocadinho do que se passou ali. E este museu é definitivamente um sítio onde se pode ter acesso à história da Catalunha.

20180502_090205.jpg

Quando saímos daqui a minha colega já estava aflita com o pé e por isso foi decidido ir ao Bairro Gótico a uma farmácia para verem se lhe conseguiam arranjar alguma coisa que aliviasse a dor que ela tinha. Enquanto ela foi à farmácia, nós ficámos sentados num largo e quando me dei conta à nossa frente estava uma igreja. Eu como sou daquelas pessoas que quer ver tudo, aproveitei logo para entrar.

CIMG9638

A igreja afinal era a Basilica di Santa Maria del Mar. Sabem o que é ainda mais engraçado? No dia anterior tínhamos passado pela a entrada principal e não tínhamos lá ido porque se pagava para entrar, mas pelos vistos entrando por uma das laterais já não é preciso pagar (ou talvez só se pagasse no dia anterior porque era feriado?). Esta igreja foi construída entre  1329 e 1383, cujo exterior transmite-nos a sensação de alguma austeridade que é completamente abatida pelo seu interior, que nos dá a impressão de espaço e de luz.

Depois desta pequena paragem seguimos para o Museu de la Xocolata. Estávamos portanto a contar passar lá uma hora de acordo com o que nos tinham dito no dia anterior. A primeira coisa boa quando lá chegámos é que os bilhetes são um chocolatinho embrulhado em papel com a bandeira do país de onde somos (obviamente que isto é perguntado na bilheteira). E ainda bem! Porque o cheiro a chocolate que se sente dentro do museu abre mesmo o desejo para comer chocolate. Na verdade dá vontade de se enfardar com chocolate. Mas tivemos que nos contentar com o bilhete (o melhor bilhete de sempre, diga-se de passagem). No início da exposição começa-se um pouco por explicar de onde vem o chocolate, do seu valor na sociedade apresentando vários anúncios antigos onde o chocolate tem o foco central. E depois temos as mais impressionantes esculturas feitas unicamente com chocolate. E são realmente impressionantes, as cores, os detalhes faz pensar que seja impossível que a criação que temos perante nós seja feita apenas com chocolate.

dav

20180502_112808Mas apesar de serem mesmo, mesmo boas as esculturas, não passámos aqui uma hora, nem pouco mais ou menos. Passámos aqui meia hora, se muito. Afinal podíamos ter vindo no dia anterior.

Nota: Se o bilhete para vocês não for suficiente eles tem uma loja com os mais diferentes chocolates que podem comprar, ou se não comprarem como nós, pelo menos podem-se babar.

Saindo então mais cedo do que o esperado, seguimos para o nosso próximo ponto, o Montjuïc. Como os bilhetes de transporte que tínhamos comprado no primeiro dia também davam para o fonicular, íamos aproveitar para irmos neste meio de transporte que nos levaria até a meio do monte. Agora a meio do monte para chegarmos ao topo tínhamos três opções: ir a pé, mas a minha amiga não aguentava andar tanto tempo por isso esta opção estava excluída; irmos de camioneta que o nosso bilhete também dava ou de teleférico. Eu confesso que gostava muito ter ido de teleférico, porque acho que a vista deve ser espectacular dali de cima, mas como ainda era carote decidiu-se ir de camioneta.

Agora o que é este tal Montjuïc?

Basta dizer que e o berço de Barcelona. Foi aqui que nasceu e de onde cresceu a cidade que hoje visitamos. Este monte em documentos antigos catalães é também chamado de “Monte dos Judeus”. No topo desta colina encontra-se o castelo que é um antigo forte construído em 1640 e hoje é um sítio turístico não só pelo seu valor histórico mas também pela belíssima vista da cidade e da marina que daqui se tem. Uma das curiosidades sobre este forte é que foi um dos pontos escolhidos  para a determinação da unidade de medida de comprimento, o metro, juntamente com a cidade de Dunkirk no norte de França. Determinações essas feitas pelos astrónomos franceses Jean Baptiste Joseph Delambre e Pierre François André Méchain.

Também aqui se encontra o Estádio Olímpico que foi o palco dos Jogos Olímpicos de 1992.

20180502_132536

20180502_13224420180502_131415

Neste sítio, no  Montjuïc, existem vários edifícios que nós não tivemos oportunidade de explorar como a Fundação Joan Miró, o cemitério de Montjuïc, os jardins botânicos, o museu de etiologia, o museu catalão de arqueologia e o museu Olímpico e do desporto, entre outros.

CIMG9685

Visto que passámos aqui menos tempo do que o que tínhamos contado (tal como no museu do chocolate) decidiu-se ir visitar o Estádio de Barcelona antes de ir para a Sagrada Família (os nossos bilhetes estavam marcados só para as 6 da tarde). O estádio do Barcelona era algo que os rapazes gostavam de ver mas que tínhamos tido dúvidas se haveria tempo ou não. Afinal tivemos.

Para verem a nossa passeata ao Estádio do Barcelona, à Sagrada Família e o nosso último dia cliquem no link

Barcelona – 3º Dia (2ª Parte)

Barcelona – 4º Dia

2 thoughts on “Barcelona – 3 Dia (1ª Parte)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s